Home / Análise / Pocket Game: The Legend of Zelda: Spirit Tracks (NDS)

Pocket Game: The Legend of Zelda: Spirit Tracks (NDS)

zelda_spirit_tracks_train

Uma das grandes sacadas do universo gamer são os portáteis. Comecei a entender isso logo quando adquiri o meu Nintendo DS, já havia tido contato com os demais – Gameboy, Color, GBA e até o Game Gear da Sega -, mas foi o NDS que me salvou quando ter tempo para jogar vídeo game era um grande problema à enfrentar. Por isso começo essa coluna aqui no blog e nada melhor do que iniciar com uma franquia que inspirou o nosso logo: The Legend of Zelda.Zelda_Spirit_Tracks

The Legend of Zelda: Spirit Tracks é o 15° jogo da franquia e sua história ocorre 100 anos após os acontecimentos de Phantom Hourglass. Aqui, Link (ou seja lá o nome que você dará ao personagem) está prestes a se tornar um maquinista em hyrule, onde as cidades são ligadas por trens mágicos. Em sua formatura, Zelda pede ajuda a Link para descobrir o que seu conselheiro está tramando, então ele se junta a ela e a seu instrutor para uma incursão a Spirit Tower. Antes mesmo de conseguirem entrar na torre, algo estranho faz com que ela se despedace, logo depois eles são atacados por um grupo de malfeitores. Após uma batalha rápida, os inimigos separam o corpo de Zelda de seu espirito e o levam, e então o jogo tem inicio.

zelda5

Um resumo rápido do jogo diria que é uma aventura onde o personagem corre em busca de itens, batalhas e a solução de alguns puzzles. Porém, como já poderia ser esperado para um jogo da franquia, a história é emocionante demais para uma mera sinopse. O uso da locomotiva é uma das grandes atrações, além de nos dar uma maravilhosa visão gráfica (mostrando os cenários muito bem detalhados e nos dando mais interação) ele nos ajuda no comércio de itens e na busca de itens. Em Spirit Tracks é necessário usar o console é totalmente, pois todos os movimentos são feitos com a Stylus, sem exceção, enquanto o microfone pode ser usado com uma nova arma que é adquirida logo no incio jogo.

A aventura não será percorrida sozinho, em determinadas tarefas, contamos sempre com o espirito de Zelda a nos ajudar e em algumas missões ela pode passar para o corpo de algum personagem, assim podemos controlá-la. Isso irá ajudar em muitas missões, mas pode atrapalhar em outras. O bom mesmo é aprender a usar todas as suas habilidades, assim o progresso será rápido e divertido.

zelda8

O jogo traz dois modos, sendo um deles o Tag Mode, que permite encontrar outros usuários e trocar itens e tesouros. Já o segundo é o modo online, chamado Battle Mode, com esse podemos jogar com outros usuários, sendo preciso apenas um cartucho.

Graficamente, Spirit Tracks mostra sua superioridade a outros jogos de NDS, aproveitando ao máximo a capacidade do console. Também conta com uma trilha agradável e viciante, assim como muitos outro jogos da franquia. Esse é o jogo ideal para quem deseja entrar em mais uma das aventuras de Link e além dessa versão, o jogo também foi lançado para Wii, assim não tem desculpas para não jogar.


Sobre Tadeu Elias

Aspirante a jornalista metido a cinéfilo que só fala de games!

Veja também

steep home

Análise: Vale a pena comprar Steep?

Queridos amigos e amigas, Steep foi uma das surpresas da Ubisoft em sua apresentação na …