Home / Análise / Jogamos Super Meat Boy! Confira o review do jogo que será responsável pelo seu primeiro ataque cardíaco

Jogamos Super Meat Boy! Confira o review do jogo que será responsável pelo seu primeiro ataque cardíaco

492239-super-meat-boy-windows-screenshot-title-screen

Simpático Cubo de Carne(?) teve grande sucesso no Xbox 360. Puzzle de plataforma chegou no PS4/PSVita como freebie de outubro para assinantes da PS Plus, 5 anos após seu lançamento.

O roteiro é clichê. Meatboy (um pedaço de carne) ama Bandage Girl (gatxenha). Dr. Fectus (sim, um feto humano em um corpo de robô) não é amado por ninguém e resolve ferrar com o romance do Meatboy.

Bandage Girl é sequestrada por Dr. Fectus e ao estilo Scribblenauts, torna-se o troféu da fase.

Depois de algumas fases, que servem como aquecimento, começa o problema:

Super Meat Boy é provavelmente o jogo menos relaxante que já foi produzido. Depois de algumas poucas horas jogando, me arrependi profundamente de ter baixado o jogo, ainda que tenha vindo “de graça”. E o mais insano é que eu simplesmente amei todos os aspectos deste puzzle insano.

Sério, se a sua intenção for abrir uma cerveja e ligar o videogame para desestressar, esqueça Super Meat Boy. Garanto que por mais calmo que você seja, depois de alguns poucos minutos jogando, você vai querer bater sua cabeça na parede de tanta raiva. Em termos de classificação, Puzzle 2D de plataforma é o que melhor define este jogo mas apesar dos acenos e homenagens a Super Mario Bros., Meat Boy tem mais em comum com jogos de puzzle mesmo, como o sucesso indie N++.

Durante desafio do cubo de carne que enfrenta a morte para salvar sua namorada Bandage Girl do maléfico Dr. Fectus há algumas cut scenes bem divertidas e fofinhas mas é no mínimo sinistro o fato de o seu herói sair espalhando um rastro de sangue conforme avança pela tela (conspiradores dizem que o Meat Boy pode ser Mario ou Sonic em realidades paralelas, mas isso não faz diferença alguma).

Super Meat Boy (PS4) - there are no easy levels

Super Meat Boy – Nível fácil? Nem pensar!

Os controles também remetem ao início das aventuras de Mario: você tem um botão para correr e outro para pular e é isso. Outra diferença dos plataformas convencionais, é que em Super Meat Boy você não tem aquele horizonte infinito e níveis muito horizontais. Com um overview do cenário, você já consegue traçar uma rota na cabeça e está pronto para tentar resgatar a Bandage Girl que obviamente encontra-se no ponto mais inacessível da tela.

Para favorecer os seus planos de resgate, há algumas plataformas amigavelmente desenhadas para favorecer o salto de uma parede à outra, o que é uma das técnicas mais difíceis de se dominar em outros jogos, neste aqui você passa a manjar dos paranauês instintivamente e quase que instantaneamente. Mas a grande dificuldade do jogo vem do fato de que 90% dos elementos que você tocar na tela irão te matar instantaneamente.

Desde o comecinho do jogo, o plano mental que você faz para passar por um nível acaba virando uma coisa muito mais difícil na prática. E ao longo do tempo seus planos mirabolantes e estratégicos são reduzidos a tentativas de erros e acertos. Isso, combinado com o perigo iminente da falha instantânea com qualquer deslize, por pior que seja. Mas calma, ainda não é hora de arremessar seu controle na parede ou dar um soco na TV. Experimente respirar fundo e xingar a si mesmo (e os sádicos que desenvolveram o jogo) e lembre-se que não existe nenhum fator aleatório para justificar sua derrota.

Super Meat Boy (PS4) - did we mention the game is hard?

Super Meat Boy (PS4) – Eu já falei que o jogo é difícil pra cacete?

Como eu mencionei lá em cima, existe uma espécie de alegria/energia que o jogo proporciona que o faz se tornar absolutamente viciante. E são os fracassos que fazem com que a experiência de passar por um level provoque um nível de euforia e agitação incomparáveis, quase como zerar Dark Souls.

Para compensar o gamer dedicado, há uma quantidade generosa de conteúdo de jogo, contendo não apenas centenas de níveis padrão mas também os desafios ainda mais sinistros do Dark World. Com relação à versão lançada para PS4, apesar de ter chego tanto tempo depois do WiiU e Xbox, não há nada de novo, além de ter uma trilha sonora diferente das outras plataformas por conta de problemas que a desenvolvedora enfrentou com o licenciamento. Trilha sonora esta que tem papel fundamental na experiência de imersão de Super Meat Boy.

A única falha do jogo são as cansativas boss battles, que inspiram um sentimento de frustração difícil de ser superado por outros aspectos do game. Mesmo sem elas,  ainda não tenho certeza se eu recomendaria este jogo para qualquer pessoa com problemas de pressão ou pavio curto. Mas, se você quiser jogar algo que proporcione uma sensação diferente de uma cut scene interativa, este jogo é um arcade game em sua forma mais crua, sangrenta e satisfatória.

Super Meat Boy

Em resumo: Indie game com um ar retrô no seu melhor, conta também com o level design mais enfurecedor já visto em um gameplay 2D.

Prós: Controles pixel a pixel perfeitos e fases muito bem desenhadas. A trilha sonora é fodásticamente boa.

Contras: Deve ser proposital, mas em um determinado ponto até mesmo a paciência do Dalai Lama iria pro saco com a ultra dificuldade do jogo. O conceito também é pouco original, apesar de muito bem executado.

Super-Meat-Boy-Meatboy_postAvaliação geral: 7.5/10

Dificuldade: 10/10

Jogabilidade: 8.5/10

Plataformas: PlayStation 4 (revisado), Xbox 360, PC, MAC e PS Vita
Prece: R$ 45,90
Publisher: Team Meat
Desenvolvedora: Team Meat
Lançamento (PS4/PS Vita): 06 de outubro, 2015
Classificação Etária: 12 anos 

 

Muito obrigado e até a próxima!

Peace, DS <3


Sobre Diego Silveira

25 publicitário e apaixonado por games e música. Nostálgico, adora consoles retrô e tatuou um controle de Super Nintendo no braço para lembrar a infância. Consome doses cavalares de pizza e café, além de beber feito um viking. PSN: oPatto

Veja também

steep home

Análise: Vale a pena comprar Steep?

Queridos amigos e amigas, Steep foi uma das surpresas da Ubisoft em sua apresentação na …